Questões resolvidas prova Petrobras Engenharia de Produção e Administração

Questões resolvidas da prova da PetrobrasCaros concurseiros,

para ter sucesso em concurso público é fundamental resolver questões de provas anteriores. Diante dessa situação, algumas vezes aparecem questões difíceis de serem resolvidas e pode acontecer de não termos alguém que possa nos dar aquele “empurrão” rumo ao entendimento delas. E nunca é bom ficar com dúvidas, pois podem cair questões parecidas na hora da prova.

Como a prova da BR Distribuidora está batendo à porta e temos a perspectiva de ocorrerem mais concursos para a Petrobras, este post abre uma série semanal em que cada um deles contemplará 5 questões resolvidas e comentadas da Petrobras e/ou suas subsidiárias (Transpetro, BR Distribuidora e Biocombustíveis) ou de qualquer outro concurso para administradores ou engenheiros de produção, desde de que a questão faça parte do programa cobrado pelo sistema Petrobras.

Regras

  • As questões são somente das provas para Administradores e Engenheiros de Produção;
  • A cada semana você poderá nos enviar uma questão que você está com dúvida no espaço destinado aos comentários para que possamos te ajudar de alguma forma;
  • O limite de questões é de 1 por pessoa/semana até um total de 5;
  • Os 5 primeiros comentários serão os escolhidos. Se tiverem menos de 5 questões, você poderá enviar mais de uma;
  • As questões pedidas após já terem 5 não valem para o próximo post, portanto, nos envie novamente entre as 5 primeiras do próximo post;
  • Informe banca, empresa, cargo, ano da prova e número da questão;
  • Coloque todo o enunciado da questão no comentário (se tiver problemas com imagens basta  postar as informações do tópico anterior)

 

Como este é o post inaugural de questões resolvidas e comentadas, nós selecionamos algumas questões postadas em algum dos principais fóruns sobre concursos públicos e que não foram respondidas. A partir do próximo post esperamos ajudar nas dúvidas enviadas por vocês.

(CESGRANRIO/PETROBRAS/ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO JR/FEVEREIRO2011)

45 GESTÃO DE CUSTOS

A empresa YDN, fabricante de peças para motores, apresentou os seguintes dados contábeis para o exercício de 2010

Produção: 500 unidades totalmente acabadas.

Custos Variáveis: R$ 15.000,00.

Custos Fixos: R$ 8.000,00.

Despesas Variáveis: R$ 4.000,00.

Despesas Fixas: R$ 3.000,00.

Não há estoques iniciais e finais de produtos em elaboração.

Não há estoques iniciais de produtos acabados.

Vendas Líquidas: 300 unidades a R$ 80,00 cada uma.

Considerando-se os dados apresentados acima, e sendo LL(Ab) o Lucro Líquido, utilizando o Custeio por Absorção, e LL(CV) o Lucro Líquido, utilizando o Custeio Variável, o valor de X na expressão X = LL(Ab) – LL(CV), em reais, é de

(A) 3.200,00

(B) 1.200,00

(C) 0,00

(D) – 1.200,00

(E) – 3.200,00

Resolução

Essa questão se resolve em etapas:

1 – Montar o demonstrativo de resultado pelos dois métodos conforme os modelos abaixo.

2 – Saber que as despesas entram direto para o resultado.

3 – Notar que a diferença fundamental entre os dois métodos reside no fato de que o CUSTO FIXO no custeio por absorção é rateado entre as unidades produzidas, indo parte desses custos indiretos de fabricação para os estoques. No custeio variável, o CUSTO FIXO entra direto para o resultado, tratamento similar ao realizado com as despesas.

Observe:

Demonstração do resultado – Custeio por Absorção

RECEITA = unidades vendidas x preço unitário = 300 x 80 = 24000

( – ) CUSTOS VARIÁVEIS = CVunitário x quantidade vendida = (15000/500) x 300 = (9000)

( – ) CUSTO FIXO = custo fixo unitário x quantidade vendida = (8000/500) x 300 = (4800)

( = ) LUCRO BRUTO = 10200

( – ) DESPESAS FIXAS = (3000)

( – ) DESPESAS VARIÁVEIS = (4000)

( = )LUCRO LÍQUIDO = 3200

 

Demonstração do resultado – Custeio Variável

RECEITA = unidades vendidas x preço unitário = 300 x 80 = 24000

( – ) CUSTOS VARIÁVEIS = CVunitário x quantidade vendida = (15000/500) x 300 = (9000)

( – ) DESPESAS VARIÁVEIS = (4000)

( = ) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO = 11000

( – ) CUSTO FIXO = (8000)

( – ) DESPESAS FIXAS = (3000)

 

( = ) LUCRO LÍQUIDO = 0

Então,

LL(Ab) – LL(CV) = 3200 – 0 = 3200

Gabarito letra A.

Dica: mesmo que você não soubesse montar o demonstrativo, poderia eliminar 3 alternativas (letras c,d,e) . A razão se deve ao fato do CUSTO FIXO entrar todo para o resultado no Custeio Variável. Com isso, o LL(CV) será menor do que o LL(Ab).

Cabe ressaltar que o custeio variável não é aceito pela legislação brasileira e é utilizado pelas empresas com fins gerenciais.

 

(CESGRANRIO/PETROBRAS/ADMINISTRADOR PLENO/2006)

46 QUALIDADE – Controle Estatístico de Processos
Um processo industrial encontra-se sob controle e os limites  do gráfico de controle das médias são: Limite Superior  de Controle igual a 141,00 mm e Limite Inferior de Controle
igual a 139,55 mm.  Determinado cliente só quer receber peças nas dimensões
de 139,00 mais ou menos 1,00 mm. Quanto ao valor do índice  de capacidade do processo e ao atendimento às  especificações do cliente, respectivamente, pode-se afirmar que:
(A) é menor que 1; não atende.
(B) é menor que 1; atende.
(C) é igual a 1; não atende.
(D) é maior que 1; não atende.
(E) é maior que 1; atende.

Resolução

De acordo com o enunciado tem-se que:

Limite Superior de Controle (LSC) =141 mm

Limite Inferior de Controle (LIC) = 139,55

Limite Superior de Especificação (LSE) = 139 + 1 =140 mm

Limite Inferior de Especificação (LIE) = 139 – 1 =138 mm

 

Capabilidade (Cp) = (LSE – LIE)/(LSC – LIC) = (140 – 138) / (141 – 139,55)= 1.38 > 1

 Cp:

Um processo com uma curva estreita (um Cp elevado) pode não estar de acordo com as necessidades do cliente se não for centrado dentro das especificações (Cpk baixo). Nesse exercício é isso que ocorre, apesar de Cp ser maior do que 1 (que nos levaria a crer em um processo capaz), não atende, devido ao fato dos limites de controle não estarem centrados nos limites de especificação.

Gabarito letra D.

A questão seguinte tem como propósito esclarecer mais estes conceitos.

 

(CESGRANRIO/PETROBRAS/ADMINISTRADOR JR/2011)

57 QUALIDADE – Controle Estatístico de Processos

Um processo industrial é acompanhado por meio da técnica de Controle Estatístico de Processo (CEP). A característica da qualidade medida é distribuída normalmente. Das situações mostradas abaixo, aquela que representa a alternativa adequada em termos de centralização e variabilidade do processo é:

Considere:

LSC = Limite Superior de Controle;

LIC = Limite Inferior de Controle;

LSE = Limite Superior de Especificação;

LIE = Limite Inferior de Especificação 

Resolução

Para essa questão vamos analisar cada uma das alternativas:

Alternativa A) Os limites de controle não estão centrados nos limites de especificação, os limites de controle do processo devem ser mais rígidos do que os de especificação para que não sejam produzidos itens fora do exigido pelo cliente -FALSA

Alternativa B) O processo não está centrado nas especificações – FALSA

Alternativa C)  Processo sob controle e dentro das especificações – VERDADEIRA

Alternativa D) O processo não está centrado nas especificações – FALSA

Alternativa E) O processo não está centrado nas especificações ( reflete o ocorrido na questão anterior) – FALSA

Gabarito letra C

 

(CESGRANRIO/BR DISTRIBUIDORA/ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO JR/2010)

51 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Uma empresa possui uma linha de lubrificantes que conta com mais de 120 produtos para uso automotivo, industrial, marítimo e ferroviário, além de produtos especiais como graxas e fluidos para freios e radiadores. Considerando-se que recentemente a empresa lançou novos produtos para a impermeabilização residencial destinados à construção civil, e que a matriz produto/mercado de Ansoff apoiou a decisão de crescimento, a estratégia adotada foi a de

(A) desenvolvimento de mercado.

(B) penetração de mercado.

(C) desenvolvimento de produto.

(D) diversificação.

(E) diferenciação.

Resolução

A figura abaixo mostra a Matriz de Ansoff ou Matriz produto x mercado:

 

Tomando como base a Matriz e o enunciado da questão, podemos chegar à resposta. O enunciado afirma que inicialmente, a empresa produzia lubrificantes, graxas e fluidos para indústrias e meios de transporte (automotivo, industrial, marítimo e ferroviário) e que recentemente lançou novos produtos para a construção civil (novo mercado de atuação da empresa).

Pela matriz, produto novo x mercado novo = diversificação.

Então para responder essa questão deve-se ter em mente os quadrantes da matriz e interpretar o enunciado.

Gabarito letra D.

 

(CESGRANRIO/PETROBRAS/ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO JR/2010)

 

30 GESTÃO DE ESTOQUES

A figura representa um sistema de reposição de estoques que é denominado reposição

(A) contínua, pois os intervalos de tempo entre as colocações dos pedidos é constante.

(B) contínua, pois o lote de compra tem como base o Lote Econômico de Compras.

(C) contínua, pois o ponto de pedido determina a quantidade a ser requisitada.

(D) periódica, pois os lotes e os intervalos da compra são variáveis.

(E) periódica, pois os intervalos de tempo entre pedidos de compra são fixos.

 

Resolução:

Sistema de revisão periódica

Nesse sistema os pedidos são realizados a intervalos de tempo fixos ao invés de realizar o pedido quando o ponto de reposição (PR) é atingido. Outra diferença é que na abordagem de revisão contínua o tamanho do lote é constante e nesse caso (revisão periódica), o tamanho do lote varia.

 Sistema de revisão contínua

Esse sistema utiliza a abordagem de ponto de reposição (PR) visto anteriormente. O nome revisão contínua vem da necessidade do acompanhamento contínuo do nível de estoque e a realização do pedido quando o ponto de reposição for alcançado. No sistema de revisão contínua a freqüência dos pedidos pode ser irregular dependendo das mudanças nas taxas de demanda, mas o tamanho do lote é constante o que abre a possibilidade de se utilizar o LEC.

De acordo com a definição dos sistemas, como Q1≠Q2≠Q3 e os intervalos entre os pedidos são iguais, temos sistema de reposição periódico.

Gabarito letra E.

 

Aguardamos suas dúvidas!